Um Mundo de Problemas

Sabe, gente, eu estou com um problema. Ainda não fiz um post novo pra atualizar por aqui, então furtei uma crônica minha do Crew (que está de “férias”), enquanto estarei fazendo um novo – com direito a gerúndio, coisa típica de enrolação de problema. Pense em telemarketing e vai compreender o que estou falando…

Portanto, hoje o assunto é dedicado aos problemáticos do mundo! Eu, você, seu vizinho, a cachorra do seu amigo (seja lá o que você subentenda com isso), entre outros. Se você tem problemas, provavelmente está no lugar certo. E, se não estiver, o problema é seu, ok?

Ok. Pra começar, nós temos que entender o que é um problema, e por mais idiota que isso pareça, já é um problema! Explico-me: Quando eu era pequeno, lá nos primórdios do primário, eu tinha alguns problemas. Eram aquelas coisas estranhas, cheias de números, sinais e afins, que a “Tia Cotinha” (minha tia-professora-imaginária, mas coloque a “tia” que você preferir) tanto cansava de explicar. Depois de algumas contas, geralmente chegávamos a uma solução e o problema estava resolvido. Uma conclusão matemática sobre alguma pergunta direta, tipo “Quantas laranjas sobraram?”, “Quantos meninos havia na sala?” ou “Quantos quilômetros o carro percorreu do Oiapoque ao Xui?”. Mas nem todo problema é simplesmente uma equação de exatas, portanto, achar a pergunta às vezes é o primeiro desafio. E a resposta também pode ter diversas soluções e caminhos possíveis. Quê problema! Ou seria “quê problema?”?

Em síntese, problema é uma dificuldade na obtenção de determinado objetivo – o que vale tanto para os conceitos matemáticos, psicológicos ou filosóficos. Acredite, todo mundo tem problema! Todo mundo. Eu sei que você pode se achar “especial”, achar que Deus conspira contra você, já vi esse filme. Mas acha mesmo que alguém com tamanho poder perderia seu tempo te fazendo de vítima? Nossa, como você é egocêntrico! Acho que nem o diabo prestaria tamanho luxo. Então, tire o seu cavalinho da chuva e comece a pensar no que vou dizer. Viver no mundo real é estar sujeito a enfrentar crises financeiras, emocionais, e até existenciais. Não sei exatamente se há algum prêmio notável no fim da vida por superarmos tudo isso, mas só sei que é assim que as coisas funcionam. Tem gente que luta muito pra pagar suas contas, tem gente que luta muito pra encontrar um amor que vale a pena, tem gente que luta muito pra sobreviver ao câncer. Tem todo tipo de gente lutando contra todo tipo de problema.

E tem gente que "resolve" problemas assim.

Um ponto engraçado que geralmente reparo é o quanto as pessoas gostam de expor os seus problemas, ou – pior – contar vantagem por serem tão “amaldiçoadas pelo destino”. Já perdi as contas do número de vezes que me deparei com uma cena do tipo “eu tenho mais motivos pra reclamar do que você!”, como se isso pudesse mudar alguma coisa. Fulano diz que tem um furúnculo na perna. Aí cicrano revida dizendo que tem uma hemorróida. Voltamos ao fulano, que agora soma a desgraça do seu furúnculo com o número de vezes que quis se matar. E o cicrano replica falando que não apenas tem hemorróida e quis se matar, como tem a coleção de faquinhas de rocambole com as quais já tentou se matar! Óbvio que as discussões a que me refiro não são exatamente assim, mas é apenas uma metáfora para que os visitantes de plantão entendam. É patético! Sem falar das exposições pela internet, que culminam em frases de MSN e Twitter “chamativas”, pra depois o indivíduo ter a coragem de reclamar que as pessoas gostam de cuidar da sua vida. PORRA! Quer privacidade, guarde o assunto pra você!

Isso não quer dizer que sou contra um possível desabafo. O ditado popular diz que se conselho fosse bom, não era dado, mas vendido. Não concordo. Psicólogo pode ter um estudo profundo de ciências, mas não deixa de ser um conselheiro de luxo – pago pra isso. E se funciona pra muita gente, significa que conselho é bom sim! Com sorte, alguma pessoa próxima a você, alguma grande amizade, pode te ajudar de graça. Lembro perfeitamente das aulas na faculdade, em que meu parceiro de criação – vulgo chara Will – dizia “Will, eu estou com um problema pra esse cliente, não consigo pensar numa solução completa. Então eu vou contá-lo pra você porque talvez minha idéia funcione melhor na sua cabeça!”. Sim, duas cabeças pensam melhor do que uma, mas é importante que seja outra cabeça válida – daquela que você tem empatia, conhecimento, confiança (e que seja inteligente, de preferência). Vendo a situação de fora, essa outra mente pensante pode te dar uma resposta diferente, inédita, ou em concordância / discordância da sua. Pode te dar uma luz que, presos no túnel, às vezes a gente não enxerga muito bem.

Em suma, não fiz esse texto pra criticar ninguém, mas tenho certeza que ele soará muito pessoal pra cada um simplesmente por constatarmos o fato que já citei no começo do texto: O de que todos nós temos problemas. Porém, saibam que pra tudo há uma solução – fácil, difícil, mais rápida ou ligeiramente longa – existente em algum canto da sua rotina e, quem sabe, dentro de você. Comece a pensar que há problemas e problemas, e que você só tem alguns deles. Provavelmente sempre terá algum, ou sempre achará algum para ter. Não deixe que eles te corroam por dentro! Se exponha, mas não precisa ser aos quatro ventos – que apenas vão levar as notícias pra lugares que você não quer, ou não precisa. Ache alguém pra te ouvir, e tenha certeza que esse alguém é mais do que suficiente e insubstituível perante o resto, ou, quem sabe, insubstituível naquele momento em que você tanto busca uma ajuda (Já desabafou com um desconhecido que, do nada, parecia tão encantadoramente conhecido e compreensível? Pois é). Tudo faz parte dessa coisa de ser mortal, sabe? Então, boa sorte! E lembre-se que, no dia em que resolver não ter mais problemas, talvez você deva mesmo é procurar uma cova…

Will acha que o mundo inteiro é bipolar. E que isso é um problema (ou não).

Anúncios

Sobre Will Pauley

Will Pauley, 23 anos. É publicitário e pseudo-filósofo nas horas vagas. Tem um chinchila de estimação, uma banda com influências de rock japonês, e uma namorada com cabelos bem branquinhos. Gosta de escrever bastante e por isso criou este pra compartilhar um pouquinho de tudo com todos que o visitam.
Esse post foi publicado em Crônicas e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Um Mundo de Problemas

  1. Mellory disse:

    Acho que já li essa crônica no Crew. E realmente, todo o mundo tem problemas!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s